Qual a diferença entre catálogo de produtos e e-commerce

Qual a diferença entre catálogo de produtos e e-commerce

“Qual a diferença entre catálogo de produtos e e-commerce? Será que eu preciso nesse momento de um catálogo ou e-commerce?”

Essas são perguntas comuns que nossos clientes periodicamente nos fazem. A escolha entre desenvolver um catálogo de produto ou um e-commerce é uma decisão que vai muito além da vontade do sujeito, depende de vários fatores que iremos analisar nesse post.

A maior diferença entre os dois produtos, catálogo de produtos e e-commerce está associado à automação do processo de venda. No e-commerce, o cliente finalizará o processo de pagamento de forma online, já no catálogo de produto o cliente fará um pedido que será analisado e posteriormente aprovado e pago pelo cliente.

Outro aspecto importante que deve ser observado está relacionado com o nível de comprometimento da organização. Para implantar um e-commerce será necessário dedicação diária ao projeto, verificação de processos de integração, marketing digital, análise de demanda e consumo, serão processos diários. Em fim, e-commerce não é apenas um sistema online para vendas, ele deve ser encarado como uma nova loja física do seu negócio. Muitas empresas ao abrir um e-commerce utilizam outro nome, outro CNPJ, pois a incidência dos impostos podem variar de acordo com o enquadramento tributário da empresa.

Por outro lado, com o catálogo de produto o nível de comprometimento organizacional é menor, uma vez que os processos que serão realizados para um pedido via site são os mesmos já realizados na loja física. Além disso, análise de crédito e cotação do frete são fatores que facilitam transações offline. Existem produtos que possuem características especiais, tais como: grandes volumes, ou mesmo dificuldade no manuseio e transporte, nesses casos, a automação da compra em geral não é recomendada.

Muitas vezes a empresa ainda não tem nenhuma penetração na Web, não tem site institucional, não tem processos de marketing digital e já querem iniciar uma loja virtual própria. Esse “pulo de etapas” em geral acarretam diversos problemas. Sendo assim, algumas recomendações que fazemos para nossos clientes e parceiros sobre vendas virtuais para quem nunca trabalhou com isso são:

  • Analise a concorrência: veja quais são os canais de venda e marketing que os seus concorrentes estão utilizando;
  • Plataforma de venda: atualmente existem diversas plataformas de venda online que não envolvem a criação de uma loja virtual própria, como por exemplo: olx, mercado livre, etc. Será que não vale a pena começar sua empreitada na Web em um desses canais?
  • Taxa de retorno: analise o tempo que será gasto em relação ao número de vendas esperadas, isso apontará se o negócio é viável ou não, ou ainda, em quanto tempo você recuperará o seu investimento inicial;
  • Plataforma pronta: busque no mercado alguma plataforma de e-commerce pronta, que você possa personalizar, em geral já existem boas plataformas que atendem o seu segmento, não gaste dinheiro logo de cara em uma plataforma própria.

Existem diversos fatores que podem ser analisados antes de iniciar o trabalho em uma loja virtual. Nós sempre recomendamos cautela aos nossos clientes, busquem primeiro estabelecer internamente uma “cultura web” na organização, após essa cultura ter se instalado será natural a implantação de uma loja virtual própria. Como diriam os nossos avós: – devagar se vai longe!

Caso você precise desenvolver um catálogo, basta entrar em contato conosco preenchendo o formulário abaixo, ficaremos felizes em antedê-lo.

Os comentários estão encerrados.

Tem um projeto para nós?

Solicite seu Orçamento!

Ficaremos felizes em atendê-lo.

Fale conosco! (45) 3333-6266